Interculturalidade latino-americana é tema de diálogo no Encontro Nacional

Integrando as atividades do Encontro Nacional Conviver em Paz nas Cidades, que vai de 19 a 21 de setembro, acontece o “Diálogo Ajayu: Cultura Viva e Interculturalidade na América Latina”, no dia 20 de setembro, às 20h, no auditório do Instituto Pólis.

O diálogo é destinado a agentes culturais, produtores, articuladores, pesquisadores, gestores, estudantes e público interessado. E não é necessário estar inscrito no Encontro Nacional para participar do Diálogo Ajayu.

“A América Latina vive um rico processo de trocas culturais entre países nos últimos dez anos, com os Pontos de Cultura, a Plataforma Puente, o Programa Cultura Viva Comunitária. A ideia é juntar saberes antigos e saberes atuais (contemporâneos), no sentido de estabelecer uma convivência que não seja uma via de mão única. Você dá voz para os saberes antigos, mas sem filtrar esses saberes por uma lógica hegemônica”, diz Valmir de Souza, organizador do evento.

Participam da conversa Hamilton Faria, poeta e coordenador da área de Cultura do Instituto Pólis, Valmir de Souza, consultor do Instituto Pólis, Antonieta Jorge Dertkigil, da Secretaria Estadual da Cultura, Pedro Vasconcellos, da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural- Minc, Eleilson Leite, da ONG Ação Educativa, Pedro Gracia, educador, Jorge Blandón, da Plataforma Puentes-Colômbia, e Dan Baron, da Idea (Associação Internacional de Drama-Educação).

Leia abaixo uma entrevista, realizada com Valmir de Souza.

– Como se dá a interculturalidade entre os países da América Latina?

Valmir de Souza – Há vários níveis de relação intercultural. Um deles, é a relação pelas vias oficiais, como o Unasul, o Mercosul, por exemplo, e mais recentemente, houve também um impulso da gestão pública no sentido de incluir a questão das culturas não consagradas, que existem na América Latina. Isso foi materializado, em partes, pelos Pontos de Cultura, que reverberaram em vários países. Junto à isso existem vários modos de se fazer cultura, que mobilizam outros saberes, que são as chamadas epistemologias do Sul, da qual fala Boaventura Souza Santos. É sobre esses modos de fazer cultura que a gente vai tratar no Diálogo Ajayu, no sentido de dar voz e visibilidade a esses saberes.

Como as pessoas se comunicam hoje?

– Já existem algumas entidades e grupos extraoficiais que trabalham com as articulações de grupos e organizações, como o Arte e Transformação, a ALACP e a Plataforma Puentes. A ideia é juntar saberes antigos e saberes atuais (contemporâneos), no sentido de estabelecer uma convivência que não seja uma via de mão única. Você dá voz para os saberes antigos, mas sem filtrar esses saberes por uma lógica hegemônica. No caso do Brasil, temos como exemplo a cultura negra e a cultura indígena, que podem estabelecer diálogos interculturais com os aimarás, os quéchuas. Que essas culturas possam interagir sem serem modificadas, no sentido de deixarem de ser elas próprias. O desafio disso tudo é conviver pacificamente, não achar que a sua cultura é mais importante do que a outra.

Diante da diversidade de culturas -a cultura da periferia, a cultura amazônica, a cultura boliviana- o que o Diálogo Ajayu procura reunir?

– Trata-se de um possível diálogo, para estabelecer uma conexão futura. É uma ação que vem também como resultado do próprio Congresso da Cultura Viva Comunitária, realizado na Bolívia, em maio deste ano. Os participantes serão de várias origens: tem pessoas responsáveis pela gestão pública, agentes de ONGs, educadores e ativistas da cultura latino-americana.
A grosso modo, é a relação entre culturas que tenham várias entradas e contribuições. É também a ideia da manutenção da autonomia cultural dos grupos e dos povos. Mais que uma integração, pode se pensar numa integração das culturas.

Diálogo Ajayu: Cultura Viva e Interculturalidade na América Latina
Com: Antonieta Dertkigil, Eleilson Leite, Jorge Blandón, Juan Brizuela, Hamilton Faria e Pedro Vasconcellos. Facilitação: Valmir de Souza
Quando: Dia 20 de setembro, às 20h
Onde: Auditório do Instituto Pólis – Rua Araújo, 124, 3º andar, República, São Paulo-SP
Grátis e aberto ao público

flyer_ajayu_encontro

fonte: http://convivenciaepaz.org.br/noticias/interculturalidade-latino-americana-e-tema-de-dialogo-no-encontro-nacional/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*